quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Evento institui setembro o mês da bicicleta

Paula Melech

Com mais de 1 milhão de veículos nas ruas, Curitiba registra cada vez mais congestionamentos, poluição e dificuldades de locomoção. Pensando em formas de melhorar a mobilidade no trânsito das cidades, artistas, ativistas e grupos que defendem meios alternativos de transporte se uniram no evento Arte Bicicleta Mobilidade e instituíram setembro o mês da bicicleta.

O período não foi escolhido à toa. Este mês acontece também a Semana Nacional do Trânsito, de 18 a 25 e o Dia Mundial Sem Carros, no dia 22, quando será realizada a "Marcha das Mil Bikes".

A série de atividades para cobrar políticas de incentivo e apoio ao uso da bicicleta inicia nesta terça-feira (1), com a terceira edição do Desafio Intermodal, para comparar os diferentes modais e comprovar qual é o mais rápido e o menos poluente.

No Desafio, serão comparados bicicleta, carro, ônibus, motocicleta, pedestres, um corredor e duas pessoas com problemas de acessibilidade. Nas duas edições anteriores, a vencedora com o menor tempo foi a bicicleta. A emissão de poluentes, tempo e gastos de cada modal são analisados por pesquisadores da Universidade Federal do Paraná e do Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec).

"Queremos divulgar uma cultura de mobilidade mais saudável, com o uso da bicicleta ou à pé. A cultura em cima do automóvel chegou ao limite, o planeta não está mais suportando", afirma o coordenador do programa de extensão da UFPR, Ciclovida, José Carlos Belloto.

O Ciclovida realizou cálculos mostrando que uma pessoa que mora a 10 quilômetros do trabalho e faz o trajeto de bicicleta queima 21 mil calorias por mês. Outro ponto positivo é que o ciclista deixa de emitir 96 quilos de poluentes e economiza cerca de R$ 150 mensalmente.

Confira a programação do Arte Bicicleta Mobilidade no site do evento.

Nenhum comentário: