sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Fogos de artifício X Animais

Saiba o que fazer quando os animais de estimação se assustam com os fogos

É preciso algumas providências para evitar que seu cão ou gato tenha algum acidente

Se o cãozinho escolher algum lugar seguro, respeite a opção - Natasha Valenti/Arquivo Pessoal
Se o cãozinho escolher algum lugar seguro, respeite a opção
Enquanto as pessoas vibram ao ver fogos de artifício no Réveillon, os animais de estimação sofrem com o barulho. Saiba o que fazer para tentar amenizar a preocupação do bichinho nas festas de final do ano.

Os cães e gatos têm a audição apurada e tendem a ouvir os sons mais alto e forte do que os seres humanos. Nas festas de final de ano, eles sofrem ainda mais com os fogos de artifício.

De acordo com a veterinária Fabiane Guedes, o barulho não provoca lesões, mas o animal se sente desconfortável e pode até se machucar caso permaneça sozinho no momento de desespero.

— Eles ficam com muito medo e tentam fugir ou se esconder em qualquer lugar. Alguns se machucam em portas de vidro e janelas — afirma.

Por esse motivo, é importante ficar perto do seu animal de estimação quando a virada do ano se aproximar e as pessoas começarem a comemorar na rua.

— Se você não conseguir pegar seu bichinho no colo, certifique-se de que ele esteja em um lugar seguro. Feche as janelas e tente abafar o som da rua o máximo possível — aconselha.

Além disso, há outras opções para tentar acalmar seu amigo. Segundo a veterinária Cláudia Baur, o tratamento homeopático deixa o animal mais tranquilo e evita problemas em situações como estas:

— Há florais que combatem o medo. Podem ser dados com um pouco de antecedência. Mas, sempre é importante saber a opinião do próprio veterinário do cão ou do gato — garante.

Outra atitude que ajuda, principalmente quando os animais vão ouvir este tipo de som pela primeira vez, é fingir estar tudo normal. Procure não parecer que está assustado. Aja normalmente.

É errado paparicar o bicho para tentar acalmá-lo, pois ele pode pensar que realmente algo perigoso pode estar acontecendo e você também está assustado. Quando ele observar que as pessoas estão tranquilas com o barulho, pode achar que está tudo bem.

Também é comum o cachorro escolher um local onde se sinta seguro. Se ele optar por isso, respeite a decisão dele.

As providências

:::
Para abafar o som dos fogos de artifício, coloque cobertores pesados em janelas e no chão.

::: Não deixe muitos cães ou gatos juntos no mesmo lugar. No desespero, eles podem correr e se machucar.

::: Aumente, aos poucos, o volume do rádio ou da televisão para acostumá-los com barulho e som alto.

::: Não acorrente seu bichinho no quarto ou na rua. Ele pode querer fugir e acabar se enforcando.

::: Calmantes naturais são uma ótima opção. Antes de dar o remédio, procure um veterinário.

::: Retire objetos leves ou de vidro que podem ser quebrados pelo animal. Além de se machucar, o estrago pode ser ainda maior.

::: Deixe água e comida nos cantos do ambiente em que o bichinho vai ficar para evitar sujeira.

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&section=Geral&newsID=a3161363.htm





Os fogos são responsáveis por acidentes dos mais variados tipos, principalmente com cães.
 
Natal, Ano Novo, Copa do Mundo, finais de campeonatos de futebol são ocasiões em que mais animais se perdem de seus donos.
 
Os animais se assustam facilmente com o barulhos dos fogos e rojões. O pânico desorienta o animal, que tende a correr desesperado e sem destino. Muitos animais podem sofrer paradas cardiorrespiratórias, convulsões e ter diversos problemas que podem os levar à morte.
  
Para evitar tudo isso, garanta condições mínimas de segurança e evite ambientes conturbados e barulhentos. Tranqüilize seu bichinho, transmitindo a sensação de que tudo está bem e sob controle.
 
Lembre-se que, se o seu bichinho conseguir fugir, por desespero, ele irá correr por vários e vários quilômetros. É MUITO IMPORTANTE deixar o animal com uma coleira com um telefone de contato. Se alguém conseguir resgatar seu bichinho, você poderá ser contatado. Utilize uma plaqueta de metal ou de plástico, com uma escrita que não saia se molhar. Etiquetas de papel escritas à caneta além de rasgar com facilidade ficam ilegíveis quando molhadas.
   
 
Fugas, perdidos eles podem ser atropelados ou mesmo provocar acidentes.
 
Mortes, enforcando-se na própria coleira quando não conseguem rompê-la para fugir, ou mesmo ao tentarem passar por vãos pequenos. atirando-se de janelas, atravessando portas de vidro, batendo a cabeça contra paredes ou grades.
 
Ferimentos, quando atingido ou quando abocanham rojão achando que é algum objeto para brincar.
 
Traumas Emocionais, resultando na mudanças de temperamento para agressividade.
 
Ataques contra os próprios donos e outras pessoas.
 
Brigas com outros animais com os quais convivem inclusive.
 
Mutilações, no desespero de fugir atravessando grades e portões.
 
Convulsões (ataques epileptiformes).
 
Morte e alteração do ciclo reprodutor dos animais da fauna silvestre.
 
Afogamento em piscinas.
 
Quedas de andares e alturas superiores.
 
Aprisionamento indesejado em lugares de difícil acesso na tentativa de se protegerem.
 
Paradas cardiorrespiratórias etc..
 
 
Acomode os animais dentro de casa, em lugar onde possam se sentir em segurança, com iluminação suave e se possível um radio ligado com música.
 
Fechar portas e janelas para evitar fugas e acidentes fatais.
 
Para abafar o som, coloque cobertores pesados ou mesmo um colchão tampando a janela. Pode forrar o chão com cobertor e cobrir o bichinho com um edredom.
 
Forneça alimentos leves, pois distúrbios digestivos provocados pelo pânico podem matar (torção de estômago, por exemplo).
 
Procure um veterinário para sedar os animais no caso de não poder colocá-los para dentro de casa. Animais acorrentados acabam se enforcando em função do pânico.
 
Alguns veterinários aconselham o uso de tampões de algodão nos ouvidos que podem ser colocados minutos antes e tirados logo após os fogos.
 
Observações Cães
Não deixe muitos cães juntos, pois, excitados pelo barulho, brigam até a morte. Tente deixá-los em quartos separados.
 
Antes da queima de fogos, leve seu animal para perto da tv ou de um aparelho de som e aumente aos poucos o volume de tal forma que ele se distraia e se acostume com um som alto. Assim não ficará tão assustado com o barulho intenso e inesperado dos fogos.
 
Observações Gatos
Escolha um quarto da casa que tenha uma cama e um armário e prepare para ser o quarto dos gatos no revellion. Feche os gatos neste quarto a partir dos primeiros rojões e deixe-os lá. Deixá-los soltos aumenta o medo, a correria e o desespero, e eles acabam se enfiando em lugares como embaixo da máquina de lavar e da geladeira;
 
Para quem mora em casa, com gatos que tem acesso à rua, recolha os gatos antes do pôr-do-sol e feche-os da mesma maneira. Na rua é mais perigoso, pois, quando se assustarem, podem se perder. Além disso, podem ser alvo de maus-tratos.
 
Forme toquinhas para o gato se esconder, pode ser colocando cobertores ou edredon dentro dos armários, embaixo e em cima da cama
 
Água, comida e caixinha de areia devem ficar distribuídos estrategicamente pelo quarto, sempre encostados na parede, para que não sejam derrubados.
 
Retire qualquer coisa que possa ser derrubada, quebrada ou derramada.
 
Observações Aves
Cubra as gaiolas de pássaros e cheque cercados de cabras, galinhas etc.
 
 
Florais de Bach (Terapeuta Martha Follain)
Calmantes naturais também apresentam resultado bastante eficiente para os animais que se assustam com os fogos. As essências abaixo, combinadas, funcionam bem tanto para cães quanto para gatos:

rescue + mimulus + aspen + rock rose + cherry plum

Mande fazer em qualquer farmácia de manipulação ou homeopática SEM ÁLCOOL
NEM GLICERINA, e guarde na geladeira (dura todo o vidrinho, apesar de dizerem na farmácia que dura só 2 dias).
  
Dosagem:
- Para aves pequenas: 2 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, pode ser colocada no bebedouro;
- Para aves médias: 4 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, pode ser colocada no bebedouro;
- Para cães de pequeno e médio porte e gatos: 4 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, diretamente na boquinha;
- Para cães de grande porte e gigantes: 6 gotas, 4 vezes ao dia, diretamente na boquinha de seu amigão;
- Para cavalos ou animais de grande porte: 30 gotas, 4 vezes ao dia, no bebedouro.
 
Para se ter absoluto sucesso no tratamento, é interessante que se tenha continuidade no mesmo, não esquecendo de ministrar as gotinhas regularmente. Aconselha-se a começar o tratamento, pelo menos, 5 dias antes do natal e estendê-lo até o dia 3 de janeiro, já que algumas pessoas insistem em prolongar a barulheira!
 
EM PAÍSES DA EUROPA SÓ É PERMITIDO SOLTAR FOGOS EM ÁREAS PREVIAMENTE ESTABELECIDAS PARA NÃO PREJUDICAR A FAUNA.
 
PREVENIR É O IDEAL, POIS SÃO POUCOS OS VETERINÁRIOS DISPONÍVEIS NO PRIMEIRO DIA DO ANO.
 
Fontes: Fala Bicho Renad ; Clarissa Niciporciukas

Fonte: http://www.pea.org.br/cuidados/fogos.htm#Cuidados%20com%20Fogos%20de%20Artif%C3%ADcio

Nenhum comentário: