quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Educadores protestam em São José dos Pinhais, PR.


_____________________________________________________
 


Manifestantes fecharam a Rua Passos de Oliveira, no trecho em frente à prefeitura de São José dos Pinhais, às 7h30 de ontem. Cerca de três mil pessoas, de acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da cidade, participaram da paralisação para pedir o fim das terceirizações, abertura de edital de concurso público e revisão do programa de progressão de carreira.

Devido à greve, 90 escolas fecharam as portas, deixando mais de 20 mil alunos sem aula, segundo estimativa do sindicato. O presidente da entidade, Nelson Castanho, em reunião com os manifestantes por volta das 17h, decidiu manter a paralisação até que eles sejam recebidos pelo prefeito Ivan Rodrigues.
“A Lei Complementar 02/2004 foi votada sem que os servidores soubessem. Cargos foram extintos e as pessoas continuam trabalhando, como se estivessem no limbo. Precisamos debater a condição dos servidores públicos”, ressalta.

De acordo com ele, a terceirização dos serviços públicos também é uma constante no município. Um edital de licitação que será aberto na próxima sexta-feira é o maior motivo de revolta dos servidores da Educação. “A contratação de um novo sistema de ensino retira a autonomia dos professores. Anula o papel criador e interventor até da família dos alunos”, frisa.

A pedagoga Juciane Luanazzi, funcionária concursada do município, também defende a municipalização dos serviços públicos. “Os terceirizados são contratos precários de trabalho que desqualificam o serviço, não têm vínculo com o serviço municipal, com a população e com a prestação de serviço de qualidade”, afirma.

O secretário de governo da prefeitura, Miguel Gawloski, acredita que a greve é “descabida e despropositada”. De acordo com ele, em abril houve uma reunião entre a prefeitura e o sindicato e foi solicitada a apresentação de uma proposta por parte da categoria para que tivesse início uma discussão.
“Eles se recusaram, então buscamos um instituto que nos exigiu o recadastramento dos servidores para entrevistá-los e elaborar uma proposta”, explica.

O recadastramento já encerrou a primeira fase no fim do mês passado, com participação de 85% dos servidores. O secretário alega ainda que não há interesse do município em terceirizar o serviço público de São José dos Pinhais.

Fonte: http://www.parana-online.com.br/editoria/cidades/news/481559/?noticia=SERVIDORES+PUBLICOS+PROTESTAM+EM+SAO+JOSE+DOS+PINHAIS

Nenhum comentário: